25 de out de 2013

The Red Shoes (And the red lipstick)

Devido a minha velha mania de prezar pelos meus gostos de infância, quando eu li Sapatilhas Cor-de-rosa - Na Ponta dos Pés um pouco tarde demais para considerá-lo um livro bom, ainda assim, fiquei pensando que eu adoraria tê-lo conhecido no auge dos meus dez anos.
De qualquer forma, acatei as boas dicas bailarinísticas do livro e li o conto de Andersen que inspirou o balé de mesmo nome: Os Sapatinhos Vermelhos. De fato, a história não supera O Patinho Feio, mas a impressão que fica, ao final, é a de que daria mesmo um bom balé.
Então, nas minhas andanças pela internet, descobri que havia um filme... "The Red Shoes". Corri a assisti-lo e me decepcionei com o roteiro, especialmente pelo final "psicodélico". Minha opinião. Depois de longas duas horas, o filme acabou me deixando com aquela coisa "as cenas de dança salvaram" porque, de fato, delas não se pode reclamar. Inclusive um dos grandes destaques do filme, eu diria o clímax, se dá na interpretação do balé, com loooongas (oba!) cenas que fazem suspirar qualquer quase-bailarino.
No fim das contas, olhando o filme como o todo, acho que vale a pena assisti-lo.
Há também uma outra coisa que chamou, particularmente, minha atenção: é uma bela oportunidade de conferir "altos makes" de espetáculo. Segue os closes que consegui printar.

Coppelia

Giselle

Les Sylphide

O Lago dos Cisnes

Os Sapatinhos Vermelhos
Confesso que não entendo muito de maquiagem de balés de repertório, já que, na academia em que faço aulas, não dançamos balés de repertório. Porém, eles sempre me servem de inspiração para minhas maquiagens de palco (IX Mostra de Dança Vivarte, me aguarde!).
Na década de 40, era moda sobrancelha fininha? Bem, devo dizer que, fora isso (porque eu gamo nas sobrancelhas marcadas), achei um arraso!
Além do mais, não sei se vocês notaram,  o bocão vermelho está em todas. <3

18 de out de 2013

TOP 12 - Com balé é mais legal

 Qualquer coisa com pitada de dança acaba ganhando minha admiração, mas claro, desde que faça jus a ela. E aposto que não é diferente com vocês. Assim, uma coreografia bem caprichada no meio de um clipe é o suficiente para me ganhar, mas... quando se trata de balé clássico, contemporâneo e jazz fico fascinada e muitas vezes eufórica. Então, resolvi compartilhar aqui esses clipes, um Top 12 talvez, pois durante as pesquisas descobri que, para minha surpresa, felizmente, são muitos. 
Aqui vão alguns desses clipes. Prontos?!

  1. Beirut - Elephant Gun; um contemporâneo bem , bem legal, além da música que é muito boa...      
               



     2.  Jennifer Lopez - I'm glad;  nesse videoclipe, J Lo faz uma 'releitura'  de cenas do filme Flashdance, devido a problemas de leitura ou algo parecido não foi possível postar o vídeo diretamente aqui, então, para assistir o vídeo clique aqui.


     3. Pink - Try; a cantora dança um contemporâneo bem 'caliente' durante o videoclipe, eu gostei bastante...



   4. Paul Young -  Every time you go away; "hit de todos os bailinhos de garagem de 1985, esse clipe mistura cenas retrô com sequestro, ballet e uma cena final de libertação numa coreografia de dança moderna.":


    5.  Hole - Violet; essa banda tem vários videoclipes que contém dança, mas esse em especial tem balé e pole dance e eu amo os dois (hehe):




   6. Kanye West - Runaway; além da música ser bacana, tem balé e, como eu disse, já basta (hehehe)...



  7. Lee Ann Womack – I hope you dance; não acho lá essas coisas, mas o balé ajudou a ficar bom... 




   8. Herbert Grönemeyer – Demo; esse em especial tem uma participação de Polina Semionova em total entrega, e é incrível como qualquer solo que ela fez ou venha fazer, meu preferido com certeza!



   9. Sting; esse também é incrível, tem uma participação de Alessandra Ferri e parte da direção também foi dela, ou seja, um arraso!



   10. Adele - Set fire to the rain; apesar de que o videoclipe ter sido gravado com a cover de Adele, a dancinha é bem legal...



  11. Kate Bush - Love and Angel; essa cantora tem vários clipes em que há dança, mas escolhi esse porque é um clássico e acho que precisa ser visto =) :


Outros dos clipes dela que eu gosto: Red ShoesBabooshkaSuspended in GaffaRunning up That Hill e Wuthering Heights. :)


12. Pulp  - The trees; nesse, particularmente, gosto muito da coregrafia, acho bem bacana...




Bom, por hoje é só! Próxima semana estarei postando mais videoclipes - já que a lista é grande. :)

9 de out de 2013

Nó - Cia. de Dança Deborah Colker

Oi, oi! Como bem diz o ditado "quem é vivo, sempre aparece". E aqui estou novamente para que continuemos nosso papo bailarinístico.
Eis que no dia 02/07, a convite de nossa professora de balé, fomos ao Teatro Tobias Barreto em Aracaju, capital sergipana, assistir ao espetáculo "Nó" da Cia. de Dança Deborah Colker. Confesso que, apesar de o nome não me soar estranho, não conhecia o trabalho de Deborah até então, o que, de certa forma, me fez atentar para o fato de que eu deveria ser mais curiosa quanto ao trabalho dos brasileiros na dança, os nomes de referência, as companhias daqui etc, mas isso é assunto para outro post.
O fato é que esse espetáculo rendeu-nos uma noite maravilhosa e emocionante. "Nó" fez a sua estreia mundial no dia 5 de maio de 2005, na Alemanha, e deste então vem fascinando o público ao tratar de algo que faz parte do mistério de nossa natureza: o desejo. Afinal, que somos seres desejantes, isso não é novidade para ninguém. Mas, se pararmos para pensar, tudo o que realizamos é fruto de um desejo prévio, seja ele consciente ou não.
No primeiro ato, os bailarinos se movimentam em meio a um emaranhado de 120 cordas. Cordas que dão nós e que simbolizam os laços afetivos que nos amarram.
No segundo ato, saem as cordas e o palco é ocupado por uma caixa transparente de 3,1 x 2,5 (...) Neste aquário gigante, feito de alumínio e policarbonato, os bailarinos se enlaçam, se atraem e opõem, se atam e se desatam. É uma metáfora do desejo, daquilo que se ambiciona, mas não se pode realizar.
E, logo abaixo, um trecho do espetáculo:

Atualização:
A nova temporada está aí: